Laser

Laser, abreviação em inglês de “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation” que significa Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação provoca aumento de energia sobre o local aplicado.


Na Dermatologia, esta forma de energia atinge determinado “alvo” na pele promovendo sua modificação física, química ou biológica. Os “alvos” podem ser um pigmento do próprio organismo como a melanina (presente nas manchas de sol), a tinta de uma de tatuagem ou até mesmo a água, como acontece com os lasers fracionados que estimulam a produção de colágeno novo por meio do aumento de temperatura.


Atualmente os lasers são amplamente utilizados nos tratamentos dermatológicos.

Existem vários tipos de lasers e sua aplicação pode ser bastante ampla:

LASER CO2 FRACIONADO

Seu mecanismo de ação é a produção de calor, causando termólise da pele, com consequente bioestimulação tecidual com formação de um novo colágeno, mais jovem e mais firme, dando aquele efeito lifting tão desejado.

LASER DE PÊLOS

Durante a aplicação, a energia emitida pelo aparelho é atraída pela pigmentação (melanina) do folículo piloso, levando ao enfraquecimento e destruição do pelo. Dependendo da área tratada, o procedimento pode durar apenas alguns minutos. O número de sessões dependerá da área a ser tratada, da densidade dos pelos e do ciclo de crescimento. Várias sessões são necessárias, pois o laser enfraquece o folículo apenas quando o pelo está na fase de crescimento.

LUZ INTENSA PULSADA

É uma luz, que quando aplicada sobre a pele, vai de encontro a um “cromóforo”, isto é, um alvo, que pode ser um pigmento de melanina de uma mancha senil ou ate mesmo um vasinho de pele. Essa luz reconhece seu alvo e o destrói, causando um efeito de clareamento e de rejuvenescimento da pele.